Portugal

Texto: Lara Morais | Fotos: Bruno Martins

O vinho do Porto, que não é produzido no porto, junto a outros vinhos é sem dúvida o retrato da cultura deste país.

Com uma culinária muita rica e saborosa, comer e beber são parte da história e tradição de Portugal. A base alimentar faz parte da dieta mediterrânea com seus três pilares: pão, vinho e azeite. O consumo de frutos do mar é extenso, grande exemplo é o bacalhau e a sardinha frita.

Apesar de um pequeno território, Portugal, é um dos maiores produtores de vinho do mundo e tem em sua viticultura cerca de 200 espécies de uva. Entre os destilados de preferência estão o Absinto, Bagaceira e Brandys como o Macieira.

 

Vinhos

Vinho do porto: é um vinho fortificado. Isso quer dizer que em seu processo de fermentação é acrescido aguardente de uva o que interrompe a fermentação e faz com o que o vinho mantenha açúcar, sendo um vinho final com maior teor alcoólico que os demais e sabor doce. Acompanha muito bem charutos e sobremesas. Os ingleses têm grande participação no desenvolvimento dessa categoria de vinhos. Nota-se até nos nomes de produtores tradicionais entre eles: Sandeman, Croft, Graham, Cockburn, Dow e Ware são algumas marcas.

Vinho Madeira: Com graduação entre 15-20% de álcool, é um vinho enriquecido na Ilha de Madeira. O Madeira é misturado com Brandy e permanece por volta de 5 meses em temperaturas de 48°C. Um vinho que era, inicialmente, muito ácido e rude após este processo torna-se uma bebida fantástica rica em aromas e de sabor incrível. Ótimo para ser degustado com tabaco e acompanha bem queijo azul, frutas secas e sobremesas.

Moscatel de Setubal: Um vinho doce e fortificado como o vinho do porto, é feito principalmente das uvas muscat: Moscatel de Setubal (muscat d’ Alexandria) e Moscatel roxo. Pode ser misturado até 30% de outros 5 tipos de uvas nativas. As cascas das uvas ficam em contato com vinho por até 6 meses, fazendo com que o Moscatel tenha aromas intensos. Notas de caramelo, tangerinas, melaço e ervas silvestres são comuns. Sua cor varia entre um laranja-avermelhado a castanho intenso.

Bagaceira: Destilado potente, que pode ser suavizado em barris de madeira. É muito similar a Grapa Italiana.

A Comida

O pão é obrigatório à mesa, o azeite é parte integrante dos preparos, mas é consumido com fartura na hora de comer. O vinho é um ingrediente de pratos e consumido com as comidas e petiscos. Os petiscos e as pequenas porções de azeitonas, linguiça, sardinhas fritas fazem parte das refeições e do cotidiano. O petiscar para o português é semelhante ao hábito dos espanhóis e gregos. As sopas e caldos são produzidos cotidianamente nas rotinas de restaurantes e donas de casa e se dividem em dois estilos: espessas e caldos claros. Os peixes são base de diversos pratos conhecidos como bacalhau ao azeite e Batatas ao murro. A carne de porco tem grande importância na cultura portuguesa e, tanto quanto os queijos, tem técnicas de preparo especificas de maturação, de salga e de produção que resultam em experiências sensoriais fantásticas.

 

Share