Devotos da Cachaça

Texto: Lara Morais

Não, não é uma promessa nem uma nova seita. Devotos da Cachaça é de um documentário sobre a nossa amada branquinha. Lançado em 2010, o documentário conta com a presença de várias figuras importantes do mundo da branquinha, como os produtores Osvaldo Santiago (Havana/Anísio Santiago) e Antônio Rodrigues (Seleta e Boazinha).

Abaixo, deixo sinopse e trailer. Só pra dar um gostinho.

O filme se propõe a mostrar a profunda relação da cachaça com a alma brasileira, exemplificada pela penetração da bebida nacional na música, na literatura, nas artes plásticas e até mesmo nas festas religiosas populares, do que é prova o Baile da Aguardente, auto recolhido do século XIX e remontado no documentário, com música original.

Devotos da Cachaça é uma produção totalmente independente e nasceu da vontade de Lenir Costa, proprietária de uma pequena cachaçaria na Barra da Tijuca, no Rio, mostrar um pouco do que é a bebida, para além do tradicional preconceito que faz com que seu consumo seja visto como um hábito moralmente degradante e insalubre.

A busca pela cachaça e suas interações com a cultura brasileira passou por locais como Rio de Janeiro, Paraty e Miguel Pereira (RJ), Betim, Carangola, Sete Lagoas e Salinas (MG). Foram quatro meses de pesquisa, dois anos de filmagens e mais oito meses de edição até que o filme ficasse pronto.

A equipe de Devotos da Cachaça foi a primeira autorizada a filmar na Fazenda Havana, que produz, em edição limitadíssima, a melhor cachaça do mundo (vendida nos grandes centros a mais de R$ 300 a garrafa) e conta ainda com imagens de presépios da maior coleção de arte popular do país, a de João Maurício Pinho (MAM), e desenhos originais de Renato Molinaro.

A participação dos cantores Pedro Paulo Malta e Alfredo del Penho empresta mais brilho a uma trilha sonora que ilustra com muita propriedade a presença da cachaça nas representações do imaginário popular brasileiro e abarca desde uma cançoneta da primeira década do século (A Cachaça), passando por choro de Pixinguinha (Aí, seu pinguça), marchas, rojão de Jackson do Pandeiro (Quem não sabe beber…), samba-enredo do Salgueiro, samba rural e samba contemporâneo.

Os pastores do Baile da Aguardente são vividos por Alessandra Lima e Érika Arruda, além de Wlademir Frazão, também autor da música. A edição é de Georges Racz e a produção, de Anna Maria Silva e Rosário Alcazar.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.