Bebendo por aí

México

Texto: Lara Morais | Fotos: Francisco Galarza Terra da Tequila e sombreros, com comida forte e bebidas tão calientes quanto, o México é rico em sabores e a diversidades de drinks vai além da tequila com Blend de álcool de cana de açúcar e 51% álcool de agave. As cantinas com seus cantineiros (bartender) servem porções que acompanham as bebidas e são chamadas de botanas, que são espécies de canapés. Variam entre tacos, tortillas ou costeleta de porco. O gosto pelas bebidas fortes é tão grande que o governo incentivou o consumo da cerveja (compreendida como o drink da moderação) em troca do consumo de mezcal, tequila e pulque.  Em resposta surgiu o hábito de se despejar um cálice de tequila dentro da caneca de cerveja, que ficou conhecido como Submarino. A mistura de 4 partes de cerveja para uma de mezcal também é comum a este se dá o nome de calichal. O México é um país produtor e consumidor de cerveja, produz estilos variados se tem forte aceitação mundial em marcas como Dos XX, Corona. Os estilos pilsener tradicional, Viena muncheners são algumas das mais fortes do país, o ritual de limão e sal ao dorso da mão também é utilizado para cerveja. Mezcal Uma espécie de Tequila, que por lei não pode ser chamada de Tequila, sendo este nome reservado a produção dos destilados da planta agave dentro da região de Jalisco. Tem teor alcoólico alto e é um destilado que tem um verme dentro (Guzano). O Guzano nasce na própria planta e é colocado dentro de garrafas do destilado. Pulque O drinque dos astecas. Um fermentado da seiva da planta do agave. Após a invasão dos espanhóis no México a arte da destilação foi popularizada e transformou esta bebida que ainda é consumida até os dias de hoje. Hoje é popular e conhecido como o Mezcal. Tequila Já foi apontada como drinque dos anos 70 e 80 e ainda hoje tem muito a oferecer a mixologia. No Brasil, mercado de 100% agave (tequila de qualidade), infelizmente, ainda menos abrangente do qual sua prima de estilo cortado com cana de açúcar. Podem ser brancas ou envelhecidas em barril. A matéria-prima é agave azul e a produção da Tequila é restrita por órgão regulador que determina a área de Jalisco como produtora. Comidas Guacamole Espécie de purê de abacate bem apimentado. Diferente do Brasil, o abacate é tido como ingrediente para preparações salgadas. Tortillas Massa à base de milho que dá origem a outras preparações como: a tortilla espanhola, feita com batata e ovos. Taco Tortilla de milho recheada. Pode ser recheado com carne, tomate, queijo, alface. Nacho Tortilla frita, serve principalmente para guarnecer pratos como a guacamole e preparações cremosas. Muito crocante e utilizado em restaurantes Tex-Mex com queijo cheddar. Burritos Também é preparado com a massa de tortilla. A diferença para o taco é que o burrito é servido enroladinho e os recheios também variam. Pode ser recheado com carnes, queijo, tomate, feijão, chilli, entre outros. Uma bela opção para quem está em São Paulo, é experimentar a Margarita servida em copo baixo do Hecho en Mexico. Hecho en Mexico Dr. Renato Paes de Barros, 538 – Itaim Bibi, São Paulo – SP – Tel: (11) 3073 0833 www.hechoenmexico.com.br

Portugal

Texto: Lara Morais | Fotos: Bruno Martins O vinho do Porto, que não é produzido no porto, junto a outros vinhos é sem dúvida o retrato da cultura deste país. Com uma culinária muita rica e saborosa, comer e beber são parte da história e tradição de Portugal. A base alimentar faz parte da dieta mediterrânea com seus três pilares: pão, vinho e azeite. O consumo de frutos do mar é extenso, grande exemplo é o bacalhau e a sardinha frita. Apesar de um pequeno território, Portugal, é um dos maiores produtores de vinho do mundo e tem em sua viticultura cerca de 200 espécies de uva. Entre os destilados de preferência estão o Absinto, Bagaceira e Brandys como o Macieira.   Vinhos Vinho do porto: é um vinho fortificado. Isso quer dizer que em seu processo de fermentação é acrescido aguardente de uva o que interrompe a fermentação e faz com o que o vinho mantenha açúcar, sendo um vinho final com maior teor alcoólico que os demais e sabor doce. Acompanha muito bem charutos e sobremesas. Os ingleses têm grande participação no desenvolvimento dessa categoria de vinhos. Nota-se até nos nomes de produtores tradicionais entre eles: Sandeman, Croft, Graham, Cockburn, Dow e Ware são algumas marcas. Vinho Madeira: Com graduação entre 15-20% de álcool, é um vinho enriquecido na Ilha de Madeira. O Madeira é misturado com Brandy e permanece por volta de 5 meses em temperaturas de 48°C. Um vinho que era, inicialmente, muito ácido e rude após este processo torna-se uma bebida fantástica rica em aromas e de sabor incrível. Ótimo para ser degustado com tabaco e acompanha bem queijo azul, frutas secas e sobremesas. Moscatel de Setubal: Um vinho doce e fortificado como o vinho do porto, é feito principalmente das uvas muscat: Moscatel de Setubal (muscat d’ Alexandria) e Moscatel roxo. Pode ser misturado até 30% de outros 5 tipos de uvas nativas. As cascas das uvas ficam em contato com vinho por até 6 meses, fazendo com que o Moscatel tenha aromas intensos. Notas de caramelo, tangerinas, melaço e ervas silvestres são comuns. Sua cor varia entre um laranja-avermelhado a castanho intenso. Bagaceira: Destilado potente, que pode ser suavizado em barris de madeira. É muito similar a Grapa Italiana. A Comida O pão é obrigatório à mesa, o azeite é parte integrante dos preparos, mas é consumido com fartura na hora de comer. O vinho é um ingrediente de pratos e consumido com as comidas e petiscos. Os petiscos e as pequenas porções de azeitonas, linguiça, sardinhas fritas fazem parte das refeições e do cotidiano. O petiscar para o português é semelhante ao hábito dos espanhóis e gregos. As sopas e caldos são produzidos cotidianamente nas rotinas de restaurantes e donas de casa e se dividem em dois estilos: espessas e caldos claros. Os peixes são base de diversos pratos conhecidos como bacalhau ao azeite e Batatas ao murro. A carne de porco tem grande importância na cultura portuguesa e, tanto quanto os queijos, tem técnicas de preparo especificas de maturação, de salga e de produção que resultam em experiências sensoriais fantásticas.